Search
  • Douglas

Usando Iluminação Artificial para Obter Resultados Profissionais na Fotografia de Alimentos


Fotografar alimentos e bebidas em suas mais diversas formas, bem como bares e restaurantes, chefs de cozinha ou algum produto gastronômico específico exige um cuidado especial na hora de captar a imagem para que se obtenha resultados de acordo com a necessidade do fotógrafo e, eventualmente, do cliente.


Por isso, é importante conhecer aspectos básicos de composição, iluminação, direção de arte (food styling) e saber como tirar melhor proveito de cada alimento.

No entanto, saber qual tipo de iluminação adequada, posicioná-la da forma correta e aproveitar ao máximo todos os seus recursos é essencial para o resultado final.


Utilizando apenas uma única fonte de luz artificial é possível obter resultados profissionais com um pouco de prática e algumas técnicas de posicionamento e intensidade de luz.


Aqui, todas as fotos foram feitas com apenas uma única fonte de luz, utilizando um softbox (estrutura de caixa fechada lateralmente e a frente um tecido leitoso branco com o objetivo de suavizar a fonte de luz) e uma lâmpada de LED de 23W.



Para criar o efeito de uma segunda fonte de luz, foi utilizado um rebatedor de luz feito de isopor nas medidas 1m x 50cm. No primeiro do creme de abacate, utilizei um spot de luz de 27cm de diâmetro (estilo softbox, porém no formato cônico) posicionando a fonte de luz (2 lâmpadas de 16W cada e 6500K) a aproximadamente 45° do objeto, deixando-a quase em cima do prato e o rebatedor na posição contrária, justamente para rebater a luz e ao mesmo tempo remover a sombra causada pelo pote, colher e limão.



No exemplo dos temperos, um softbox maior (68cm x 59cm) com lâmpada de LED (24W e 6500K) foi colocado um pouco abaixo do degrau onde estão os potes de tempero e a placa rebatedora de isopor no lado oposto, justamente para rebater por completo a luz emitida pelo softbox (e não deixar o fundo muito escuro por conta da tonalidade do piso, igualando a foto como um todo).


Repare que o rebatedor, dependendo da distância no qual é posicionado do objeto principal, funciona quase que como uma segunda fonte de luz artificial semelhante ao softbox, porém mais suave.


Usando a criatividade e testando outras formas de se fotografar com apenas uma única fonte de luz e um rebatedor, técnicas simples como essa podem trazer resultados profissionais para o fotógrafo de alimentos/produtos sem que precise gastar muito com equipamentos caros ou com excesso de iluminação.

Este post não contém nenhum tipo de afiliação, patrocínio, parceria ou propaganda.

#fotografiadealimentos #fotógrafo #bastidoresgastronomia #fotodecomida #fotografodealimentos #makingof #blogdefotografia #técnicadefotografia

© 2021 Picturegraphie    |    São Paulo/SP