Buscar
  • Douglas

Utilizando as Cores Certas na Fotografia de Alimentos


Assim como escolhemos uma roupa para o dia-a-dia, procuramos combinar cores e tonalidades em diversos aspectos da nossa vida como decidimos comprar um carro, um acessórios pessoal como óculos ou uma bolsa, um móvel para casa, entre muitos outros.


A fotografia em preto e branco sempre foi uma das formas de representação da arte visual apreciada não apenas por fotógrafos, mas por pintores, designers e profissionais de outras artes.


Através da ausência de pigmentação nas imagens é possível transmitir ao público sensações das mais diversas como isolamento, solidão, poder, fortes emoções, entre outras.



Foto acima: Acervo de Imagens do Wix.


O alto contraste (assim como baixo contraste), brilhos controlados em expressões faciais e o equilíbrio entre sombras faz da fotografia em preto e branco destacar-se pelo seu apelo na busca da interpretação do sentido da imagem e não apenas pelas cores que ela representaria.


No entanto, as cores na fotografia comercial, introduzidas no começo dos anos 1900, vieram para agregar, contar uma história, auxiliar o fotógrafo e outros criadores das artes a mostrar as imagens através de uma nova perspectiva que logo seria uma das populares no mundo todo.


O uso de cores intensas destacam a fotografia de alimentos.


E não tardou muito para que amplos estudos sobre cores fossem desenvolvidos, testados e aplicados por milhares de fotógrafos em todo o mundo nos mais variados tipos de trabalhos. A partir dos anos 70, a fotografia colorida já era amplamente difundida e acessível para uma grande parte dos fotógrafos.


Na fotografia de alimentos não é diferente. O fotógrafo, em parceria com o food stylist e o chef, discutem como tirar melhor proveito das cores que compõe o ambiente ou cenário, o alimento/bebida e eventuais itens decorativos que venham fazer parte da fotografia final.


Food styling

Foto acima: Acervo de Imagens do Wix.


E uma das formas de combinar as cores corretamente é utilizando o círculo cromático. Nele, podemos identificar quais cores combinam entre si e quais devem ser evitadas. Por exemplo, se utilizarmos elementos de uma determinada cor, como o verde, pode-se combinar com outros elementos na cor vermelha para criar um contraste entre as duas, conforme o círculo cromático. Note que o inverso do verde em um círculo cromático é justamente o vermelho.



No entanto, nem sempre isso torna-se uma regra. Dependendo do "clima" que se queira dar à fotografia de alimentos, o food stylist pode combinar outras cores e até uma terceira cor através do uso das cores primárias (vermelho, amarelo e azul puros), secundárias (laranja, o verde e o roxo) e terciárias (azul arroxeado, azul esverdeado, amarelo esverdeado, amarelo alaranjado, vermelho arroxeado e vermelho alaranjado), para realçar a imagem ou compô-la de forma que fique esteticamente aprazível para os olhos.


E é justamente nas cores dos alimentos, suas diferentes tonalidades, brilhos, tons e realces que um fotógrafo de alimentos pode se basear ao compor a fotografia, buscando o melhor ângulo e posição de luz para valorizar ainda mais o prato a partir das cores.


Foto acima: Acervo de Imagens do Wix.


O uso correto das cores na fotografia de alimentos é uma técnica que permite ao fotógrafo criar uma identidade visual para o seu trabalho e garantir que o cliente reconheça e valorize a imagem criada para o seu produto.


Em determinados casos, as cores podem passar a informação com maior precisão e valorizar ainda mais o trabalho já que em meio a milhares de fotos de alimentos de alta qualidade espalhadas pela Internet, sabendo utilizar as cores ideais e na proporção certa poderá ajudá-lo(a) a chamar mais a atenção sem o uso excessivo de técnicas de correção digital na pós-produção.


Este post não contém nenhum tipo de afiliação, patrocínio, parceria ou propaganda.


#fotografodealimentos #fotodecomida #foodstylist #fotografia #circulocromático #fotógrafo #direcaodearte #paletadecores